BLEFAROPLASTIA:

Também conhecida como cirurgia das pálpebras, melhora a aparência da área ao redor dos olhos, fazendo com que o olhar pareça mais descansado.

A blefaroplastia pode remover o excesso de bolsas gordurosas e pele das pálpebras superiores e inferiores. Pode ser realizada em pacientes de todas as idades que desejam melhorar o aspecto dos olhos. A maioria para minimizar os efeitos do envelhecimento como a flacidez cutânea e o excesso das bolsas gordurosas.

As cicatrizes localizam-se no sulco palpebral da pálpebra superior e abaixo da borda ciliar na pálpebra inferior. Como a pele das pálpebras é de espessura muito fina, a cicatriz tende a ficar praticamente invisível.

 Pode ser realizada em hospital ou clínica especializada, em regime ambulatorial, normalmente sob anestesia local associada à sedação.  Entretanto, para alguns pacientes, anestesia geral pode ser a melhor opção. O tempo cirúrgico é em média 1 hora, podendo o paciente na maioria das vezes receber alta logo após a cirurgia. Os pontos são retirados em 72 horas. O inchaço e a equimose (roxo) ao redor dos olhos desaparecem geralmente em uma semana.

Para informações adicionais entre no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br).

RITIDOPLASTIA:

O processo de envelhecimento da face caracteriza-se por alterações no aspecto da pele (mais seca, flácida e com manchas), formação de bolsas de gordura nas pálpebras e frouxidão dos músculos. Ocorre aprofundamento do sulco nasolabial (bigode chinês), excesso de pele e gordura na região da mandíbula, afilamento dos lábios (especialmente o superior), acúmulo de pele e gordura no pescoço (papada), diminuição e queda das maçãs do rosto. Alguns hábitos de vida contribuem para agravar este processo, tais como: exposição solar, stress, alcoolismo e tabagismo crônicos.

Tecnicamente conhecida como ritidoplastia, a cirurgia da face é um procedimento cirúrgico para melhorar estes sinais visíveis de envelhecimento no rosto e no pescoço (flacidez, papada, rugas e sulcos) reposicionando a musculatura, gordura e pele de maneira natural e sutil.  A cicatriz é discretamente posicionada em volta da orelha e dentro do couro cabeludo. Podemos associar a este procedimento blefaroplastia, enxerto de gordura ou ácido hialurônico nos lábios, na região malar e no sulco nasolabial, lifting das sobrancelhas (videoendoscópico), lipoaspiração da papada e peeling químico ou de CO2.

Sendo uma cirurgia reparadora o lifting não muda sua aparência, assim como não interrompe o processo de envelhecimento.

A anestesia pode ser local com sedação ou geral, o tempo cirúrgico dura em média 4 horas ou até mais e a alta no dia seguinte. O inchaço é progressivo durante as primeiras 48 horas, após as quais torna-se estável para então iniciar o processo de regressão. A equimose (roxo) pode ser mais ou menos intensa dependendo do paciente. Recomenda-se não fazer esforços físicos por 30 dias e não tomar sol por 60 dias. Os pontos são retirados em 5 a 7 dias.

Para informações adicionais entre no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br).

RINOPLASTIA:

Além da beleza e do aspecto funcional, o nariz impõe à face traços da personalidade. Portanto não existe um modelo ideal, e a cirurgia tem por objetivo harmonizar o nariz com os traços da face do paciente, melhorando sua auto-estima, sem no entanto prejudicar sua maior função que é a respiração.

 A rinoplastia também pode corrigir dificuldade respiratória causada por anormalidades estruturais no nariz. As incisões podem ser por dentro ou por fora do nariz. As incisões por dentro são indicadas nos casos onde não há intenção de tratar a sua ponta, e em casos onde poucas mudanças são planejadas. Já a incisão por fora permite uma excelente visualização de todos os elementos nasais.

Recomenda-se a realização da rinoplastia após o crescimento dos osso da face, por volta dos 15 anos de idade.

O tempo cirúrgico varia em torno de 3 horas e a anestesia pode ser local com sedação ou geral. O paciente fica internado por 24 horas. Utiliza-se um tampão intranasal por 48 horas. Caso seja feita fratura dos ossos nasais, utiliza-se imobilização por sete a dez dias.

 É normal a permanência de edema (inchaço) até 3 a 4 meses após a cirurgia. No entanto, o edema é mais importante nos primeiros 2 meses, quando recomendamos não usar óculos de grau ou de sol. A espessura da pele do paciente tem papel importante nesta evolução, quanto mais espessa a pele, mais tempo ficará inchada. Os pontos são retirados entre 5 a 7 dias.

Para informações adicionais entre no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br).

OTOPLASTIA:

As orelhas podem variar de tamanho, posição e formato. A alteração mais comum é a orelha em abano, porém os defeitos podem ser mais graves como a microtia (orelha pequena), até anotia (ausência de orelha). Existem ainda outras alterações como:  lóbulo proeminente, lóbulo bífido (uso de brincos), entre outras.

Crianças a partir dos 6 anos de idade têm a estrutura da orelha completamente formada,  sendo assim, com esta idade ou mais podem ser submetidas ao procedimento. Se possível, é melhor corrigir a deformidade no início da vida escolar da criança, para evitar preconceitos e brincadeiras por parte dos colegas. A cicatriz é inaparente sendo posicionada no sulco entre a orelha e a cabeça.

O tempo cirúrgico é de 2 horas. A anestesia é local, podendo-se utilizar sedação ou anestesia geral em alguns casos. A alta hospitalar ocorre no mesmo dia do procedimento, sendo utilizado um curativo em forma de capacete por 5 dias e uso de faixa por um mês.

Para informações adicionais entre no site da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (www.cirurgiaplastica.org.br).